O texto de Dalai Lama sobre a calma que nos convida a refletir

05 Maio, 2020
A seguir, apresentamos um poema em que o Dalai Lama nos ensina o valor de acalmar a mente, de apaziguar os medos, as preocupações e as ansiedades para apreciar o presente e, assim, alcançar o bem-estar e a plenitude pessoal.

Se chama calma e me custou muitas tormentas. Se chama calma e, quando desaparece, saio novamente à sua procura”. Assim começa o texto de Dalai Lama sobre a calma, excepcional do ponto de vista emocional e psicológico. Afinal, somente quando alcançamos essa paz de espírito, pensamos e agimos com maior clareza, sucesso e harmonia.

Uma das referências no mundo da psicologia e que tem uma relação mais próxima com o Dalai Lama é Paul Ekman. Considerado um dos pioneiros no estudo das emoções, ele comenta frequentemente em suas palestras que essa amizade com o líder espiritual do budismo tibetano foi uma experiência transformadora.

Ele lhe permitiu ver, entre outras coisas, que a alma dos lugares, assim como a essência da própria vida, não pode habitar pessoas “apressadas”. A pressa, os estados de preocupação, inveja, medo ou raiva obscurecem a razão e dificultam o caminho da felicidade. Queiramos ou não, a calma é tudo. É aquele lago de águas cristalinas onde a lua e as estrelas podem dançar. Também é o equilíbrio psicológico.

A mente relaxada e o coração tranquilo respondem melhor às dificuldades da vida. No entanto, alcançar esse sentimento, esse sutil equilíbrio interno, não é algo que possamos fazer de um dia para o outro. Como o próprio Dalai Lama explica, nem uma estação espacial nem uma mente iluminada são criadas em um único dia. Precisamos nos desfazer de muitas coisas.

“Se chama calma e me ensina a respirar, a pensar e a repensar.
Se chama calma e quando a loucura a tenta, desata ventos selvagens difíceis de dominar.
Se chama calma e chega com os anos quando a ambição juvenil solta a língua e esfria a barriga, dando lugar a mais silêncio e mais sabedoria. (…)”

Pier em um lago calmo

O texto de Dalai Lama sobre a calma

A calma é uma das habilidades emocionais mais sofisticadas e difíceis de alcançar. Isso é algo que o psicólogo Paul Ekman sabe perfeitamente. No entanto, algo ensinado pelo líder espiritual é que a paz interior e a serenidade mental também são um impulso para a ética, para o respeito entre as pessoas. “Se chama calma e o mundo a evita, a ignora, inventando guerras que ninguém nunca vencerá”.

Assim, aqueles que não têm essa calma raramente entendem as consequências de suas ações. Eles dificilmente poderão oferecer bem-estar e respeito aos outros se houver excesso de ruído no seu interior, se houver uma carga excessiva de emoções adversas. De alguma forma, somos uma sociedade que deixou de desfrutar do silêncio para nos deixar aprisionar pela angústia, ansiedade e medo.

Nenhuma sociedade pode avançar se não for capaz de cultivar dois nutrientes básicos: a calma e a compaixão.

“Se chama calma quando aprende a amar, quando o egoísmo dá origem à doação e o inconformismo desaparece para abrir o coração e a alma, se entregando inteiro a quem queira receber e dar.
Se chama calma quando a amizade é tão sincera que todas as máscaras caem e tudo pode ser dito.
Se chama calma e o mundo a evita, a ignora, inventando guerras que ninguém jamais vencerá.
Se chama calma quando se desfruta o silêncio, quando os ruídos não são apenas música e loucura, mas o vento, os pássaros, a boa companhia ou o barulho do mar (…)”.

Caminho pelos trilhos de um trem

Uma pessoa tranquila é como uma árvore que faz sombra

Muitos de nós certamente conhecemos alguém assim. São pessoas discretas, calmas e sempre focadas. São figuras que irradiam paz e com quem tudo parece simples. O dia a dia se torna tranquilo ao seu lado, as inseguranças diminuem, acaba o estresse e as preocupações se dissipam.

Pessoas com tranquilidade interior são como as grandes sequoias de beleza ancestral que oferecem sombra e, ao mesmo tempo, sabedoria. Agora, além de admirá-las, nunca é demais imitá-las; proceder ativamente para imitar a sua atitude, o seu conhecimento, a sua tranquilidade mental.

Dessa forma, uma maneira de alcançar esse estado é através da atenção plena. Um estudo realizado pelo Dr. Brown, KW e Ryan, RM (2003) e publicado no Journal of Personality and Social Psychology indica que essa prática nos permite gerenciar melhor as emoções e gerar um maior bem-estar psicológico.

O texto de Dalai Lama sobre a calma

Calma não é apenas aprender a viver em paz, é saber transitar em paz em meio a crises e adversidades

A calma não é apenas um estado mental. Algo que sabemos sobre as emoções é que elas têm o poder de condicionar os nossos pensamentos e ações. Assim, esse texto de Dalai Lama sobre a calma não é apenas um conjunto de versos simples para refletir. É uma decisão.

Devemos estar cientes de que trabalhar a calma interior é uma abordagem para melhorar o nosso comportamento, adquirindo uma valiosa estratégia de enfrentamento. Porque não basta somente fazer uso da serenidade interior para viver em paz. A calma nos permite transitar com maior equilíbrio no meio do caos. Ela é o ancoradouro que nos permite decidir melhor, é o leme com o qual superaremos as adversidades utilizando recursos adequados e tomando decisões mais acertadas.

Portanto, vamos adotar esta lição de sabedoria e crescimento pessoal diariamente. É preciso propiciar esse equilíbrio para aceitar o que acontece conosco, mas sempre procurando resolvê-lo, fazendo da paz interior um reflexo para entender o mundo.

“Se chama calma e não pode ser paga, não existe moeda de nenhuma cor que possa cobrir o seu valor quando se torna realidade.
Se chama calma e me custou muitas tempestades e eu as enfrentaria mil vezes mais até encontrá-la novamente.
Se chama calma, a desfruto, a respeito e não quero deixá-la ir.”

  • Brown, KW, y Ryan, RM (2003). Los beneficios de estar presente: la atención plena y su papel en el bienestar psicológico. Revista de Personalidad y Psicología Social . American Psychological Association Inc. https://doi.org/10.1037/0022-3514.84.4.822
  • Ekman, Paul. Dalai Lama (2008) Emotional Awareness: Overcoming the Obstacles to Psychological Balance and Compassion. HENRY HOLT