Aprender a estar consigo mesmo é a chave para o bem-estar

25 Setembro, 2020
Embora pareça mentira, muitos adultos são incapazes de estar consigo mesmos; isto é algo que pode levá-los à dependência emocional.

Muitos adultos são incapazes de estar consigo mesmos. A solidão gera tanto desconforto que eles procuram constantemente a companhia de outra pessoa sem avaliar se essa relação é de qualidade ou não. Precisamos entender que ficaremos conosco por toda a vida. Portanto, é importante que tenhamos muito clara esta mensagem: “Aprender a estar consigo mesmo é a chave para o bem-estar”.

O fato de estarmos sozinhos nos causa desconforto porque não estamos acostumados com isso. Vivemos imersos em ruídos externos, focados nos outros e desconectados do nosso próprio ser. Quando os outros vão embora, o silêncio é tão perturbador quanto aquela voz interior que não ouvíamos há anos.

A incapacidade de apreciar a própria presença não o impede apenas de conhecer o maravilhoso ser humano que você é. Além disso, pode levá-lo a estabelecer relações nocivas de dependência que se baseiam tanto no amor quanto no medo de que alguém vá embora e o deixe sozinho com você.

Quando você gosta da sua companhia, você é livre. A sua plenitude vem do único ser que nunca o deixará; e assim, os relacionamentos se tornam uma escolha, e não uma necessidade. Nesse momento, você se coloca na posição de escolher a pessoa com quem você realmente deseja dividir o seu tempo e não hesita em encerrar vínculos que não lhe trazem nada de positivo.

Mulher sozinha na praia em dia nublado

Como aprender a estar consigo mesmo

É importante destacar que buscar o contato social e estabelecer relacionamentos é totalmente saudável e natural. Somos seres sociais e precisamos da interação com outras pessoas para nos mantermos física e emocionalmente saudáveis.

No entanto, você passa a maior parte do tempo com você mesmo. Então, por que não parar de fugir e começar a se conhecer? Você ficará surpreso com o que descobrirá.

Dê uma chance a si mesmo

Como já comentamos antes, se você acha desconfortável estar consigo mesmo é porque não está acostumado com isso. Você ainda não se deu a oportunidade de se conhecer, porque está sempre rodeado de outras pessoas. Portanto, é importante que você faça um esforço consciente para passar mais tempo consigo mesmo. Tente superar o desconforto inicial e, aos poucos, se acostumará com a sua presença.

Basta que você comece a não forçar encontros com outras pessoas para evitar a solidão. Quando ela se apresentar naturalmente, não fuja, aceite-a e comece a experimentar como é estar consigo mesmo.

Concentre-se em você mesmo

Muitas vezes, a dependência emocional nos leva a depender excessivamente da outra pessoa. Fazemos o possível para conhecer as suas necessidades e expectativas e atendê-las instantaneamente. Colocamos toda a nossa energia e tempo no seu bem-estar e, por isso, nos esquecemos de nós.

Então, comece recuperando todo esse tempo e energia mental que você dedica a alguém de fora e concentre-se em você. Comece a se perguntar como você se sente em cada momento, o que precisa, o que quer, o que deseja. Torne-se a sua prioridade e cuide-se primeiro.

Talvez no início você sinta que é algo egoísta ou antinatural, mas nada poderia estar mais longe da verdade. A sua maior responsabilidade é com você mesmo. Você não pode amar de forma saudável, atender e cuidar de outra pessoa se não amar, cuidar e atender a si mesmo primeiro.

Cultive um relacionamento consigo mesmo

Por último, lembre-se da importância de cultivar um relacionamento consigo mesmo. Quando você ama alguém, você o ouve, lhe diz palavras de amor e encorajamento e lhe dedica tempo. Você precisa fazer o mesmo com você.

Encontre um tempo todas as semanas para ter “encontros de amor-próprio”, momentos a sós em que o único objetivo é se divertir. Você pode tomar um banho relaxante, assistir ao seu filme favorito, preparar uma nova receita… O objetivo é passar um tempo com você e se divertir.

Mulher olhando no espelho

Aprender a estar consigo mesmo será um prazer

É possível que, no início, você descubra partes de si mesmo das quais não gosta muito. Você pode perceber que ainda guarda feridas do passado, que tem medos, que sente raiva. Talvez isso o perturbe. Tenha em mente que, provavelmente, você tem encoberto esses sentimentos há anos com a presença contínua de outras pessoas, e agora está finalmente lhes dando um pouco de luz.

Em vez de voltar para o início, ouse ficar ao seu lado. Observe as suas áreas obscuras e trabalhe nelas, se for necessário. Quando você aprender a estar consigo mesmo incondicionalmente, quando se tornar o seu melhor amigo e maior aliado, a vida se tornará mais simples e você não se sentirá mais sozinho.

  • Blasco, C. (2005). Dependencia emocional. In I Congreso Virtual de Psiquiatría 1 de Febrero-15 de Marzo 2000 [citado:*]; Conferencia 6-CI-A:[52 pantallas]. Disponible en: http://www. psiquiatria. com/congreso/mesas/mesa6/conferencias/6_ci_a. htm.
  • Savater, F. (1988). El amor propio y la fundación de los valores. Revista del Centro de Estudios Constitucionales, (1), 377-420.