Áreas de Brodmann: características e funções

20 Março, 2021
As áreas de Brodmann, que são divisões do córtex cerebral, formam um mapa que nos ajuda a compreender as estruturas e funções do cérebro.

O estudo do cérebro sempre se caracterizou pela sua enorme complexidade. Mesmo assim, houve grandes pesquisadores que nos ajudaram a entendê-lo mais claramente. Um deles foi um neurologista alemão chamado Korbinian Brodmann, que dividiu o córtex cerebral nas áreas de Brodmann.

Brodmann se dedicou principalmente ao estudo da anatomia e da psiquiatria. Em 1901, passou a se dedicar à neurobiologia, e foi nesse período que deu origem ao famoso mapa do córtex cerebral que leva seu nome.

Neste mapa das áreas de Brodmann, encontramos uma divisão de regiões de acordo com a sua função e localização. Continue lendo este artigo e aprenda mais sobre essas regiões!

Áreas de Brodmann: em que consistem?

Este mapa do córtex cerebral foi feito por Brodmann por volta de 1909. Nele, ele diferenciava até 52 áreas diferentes, cada uma composta por uma citoarquitetura, fluxo sanguíneo, metabolismo e funções características.

O objetivo de Broadman era criar uma organização topográfica do córtex com base em características anatômicas e funcionais. Para fazer isso, ele realizou divisões espaciais do córtex que, aos poucos, foi experimentalmente correlacionando com as várias funções corticais.

Áreas de Brodmann

Sobre essas áreas, descobertas em suas pesquisas em neuroanatomia, ele usou o método de coloração de Nissl. Além disso, esses estudos não foram realizados apenas em humanos, mas também em macacos.

Brodmann não foi o único cientista a realizar uma divisão do córtex cerebral: Constantin Von Economo e Georg N. Koskinas também o fizeram, e com ainda mais detalhes. No entanto, o mapa cortical de Brodmann é o que tem maior difusão mundial, sendo usado como referência até hoje.

Embora se saiba atualmente que não há uma divisão exata das áreas corticais e que existem inter-relações no córtex cerebral, e não funções independentes por área, este mapa ainda é muito útil.

Áreas motoras

Essas são as regiões que, em suma, formam o córtex motor. São, portanto, um conjunto de áreas responsáveis ​​pelo processamento das informações relacionadas à movimentação muscular.

Estão relacionadas à geração, coordenação, manutenção e finalização dos movimentos. Dentro do córtex motor, podemos encontrar diferentes regiões:

  • Área motora primária ou 4 de Brodmann. Esta região é caracterizada por um baixo limiar de excitação. É responsável pela execução de ordens para iniciar movimentos voluntários, que em geral são movimentos simples.
  • Área motora suplementar ou 6 de Brodmann. É caracterizada por ter um alto limiar de excitação. É responsável por coordenar os movimentos envolvidos na postura. Além disso, influencia a organização das sequências de movimento dos grandes grupos musculares.
  • Área motora secundária ou 8 de Brodmann. É uma área pré-motora e é responsável, juntamente com a área 6, por armazenar padrões de movimento de experiências anteriores. Também se ocupa do movimento dos olhos.
  • Área de Broca ou 44 e 45 de Brodmann. São aquelas que têm a ver com os movimentos necessários para produzir a linguagem. Ou seja: gesticulação, entonação e processamento semântico. Assim, desempenham um papel crucial na elaboração e geração da linguagem falada e escrita.

Áreas sensíveis

Compõem a região somatossensorial e são responsáveis ​​pelo processamento cerebral dos fenômenos sensoriais (associação e coordenação de estímulos e comparação de estímulos anteriores com aqueles vindos do exterior).

Elas processam, entre outras, as informações que vêm do sistema tátil e as relacionadas à posição corporal. Podemos encontrar as seguintes regiões sensíveis:

  • Áreas somatostéticas primárias, ou 1, 2 e 3 de Brodmann. Elas estão localizadas entre o giro parietal e a parte posterior do lobo parietal central. São as principais áreas responsáveis ​​pelo tato e pela propriocepção.
  • Área somatestésica secundária, ou 5 e 7 de Brodmann. A 5 se encarrega da percepção tátil e a 7 é uma área integradora, de reconhecimento de objetos sem usar a visão.
  • Regiões de sensibilidade acústica: a área 41 detecta mudanças na frequência e localização do som. A área 42 participa da detecção e reconhecimento da fala e processa informações do córtex auditivo primário. Além disso, as áreas 20 e 21 reconhecem sons e a área 22 os percebe.
  • Sensibilidade gustativa. Principalmente a área 43. Está localizada no lábio posterior da fissura lateral e na área adjacente da ínsula. Graças a ela, processamos as informações relacionadas ao sabor.
  • Sensibilidade vestibular. É encontrada no lábio superior da fissura central e na parte posterior da ínsula e da área 22. Tem a ver com a percepção das posições do corpo, movimentos da cabeça no espaço e a manutenção do equilíbrio.
  • Sensibilidade visual. Existe a área de Broadman 17, ao redor da fissura calcarina e do polo occipital, que processa o conteúdo visual com uma distribuição retinotópica das representações visuais. Além disso, as áreas 18 e 19 de Brodmann relacionam as informações recebidas da área 17 com experiências visuais passadas registradas, para o reconhecimento e apreciação do que é visto.
Desenho de cérebro humano

Áreas associativas

São áreas multissensíveis, capazes de associar várias sensações entre si e de associá-las, por sua vez, com áreas do tipo motor. Elas estão ligadas ao comportamento, à discriminação perceptiva e à interpretação de experiências sensíveis.

Elas estão distribuídas em três áreas: a posterior parietal, a temporal anterior e a pré-frontal. Temos entre elas:

  • Áreas pré-frontais ou 9, 10, 11 e 12 de Brodmann. Elas se encarregam de associar as experiências necessárias para produzir ideias abstratas. Além disso, estão relacionados às funções executivas, personalidade e emoções.
  • Área do vinco curvo ou áreas 39 e 40 de Brodmann. Elas associam informações visuais, proprioceptivas e táteis para consolidar conceitos de forma, tamanho e textura. Além disso, têm a ver com a valorização e consciência da imagem.
  • Área temporal anterior. Intervém no armazenamento de experiências sensíveis. Sua estimulação lembra objetos ou músicas que foram previamente experimentados. A área 38 desta região é creditada com o movimento do pé que fazemos ao seguir o ritmo de uma música quando ouvimos uma melodia.
  • Áreas associativas da linguagem. A área de Broca é dedicada à geração motora da linguagem falada. A área de Wernicke permite a compreensão da linguagem escrita e falada, associando sons a conceitos. O centro de Exner interfere na linguagem escrita, e os de Dejerine e Luria se dedicam à organização adequada da palavra.
  • Garey, L. J. (2006). Broadmann’s ‘Localisation in the Cerebral Cortex’. Springer.