Como autoconsciência profissional impulsiona o seu crescimento?

17 Outubro, 2020
A autoconsciência profissional é uma vantagem no mercado de trabalho. Quer saber como aprimorá-la? Descubra a seguir.

Existem diferentes formas de impulsionar o nosso crescimento pessoal e profissional. Uma delas tem a ver com a autoconsciência profissional. Como as práticas de conscientização podem promover um maior bem-estar em diferentes áreas? O que pode nos ajudar a alcançá-lo?

Antes de nos aprofundarmos, tenhamos em mente que a intencionalidade será um dos eixos-chave que nos permitirá promover esse desenvolvimento. Além disso, é um caminho repleto de aprendizagens que podemos integrar gradativamente nas diversas áreas em que atuamos.

“O amor-próprio é o ponto de partida para o crescimento da pessoa que sente o valor de assumir a responsabilidade pela própria existência”.
– Viktor Frankl –

Homem satisfeito no trabalho

O que é a autoconsciência profissional?

Quando falamos de autoconsciência, nos referimos, segundo a Real Academia da Língua Espanhola (RAE), à “capacidade que temos de reconhecer e perceber a nossa realidade e de nos relacionarmos com ela”.

Como somos profissionais, destacamos esta habilidade ligada à atividade habitual em que nos desenvolvemos, para a qual nos preparamos e pela qual obtemos uma remuneração.

Portanto, trata-se de como reconhecemos e percebemos o nosso ambiente de trabalho, como nos relacionamos com ele e os fatores que o incluem. Vejamos algumas características associadas:

  • Responsabilidade: as pessoas com autoconsciência profissional assumem o controle de si mesmas, levando em consideração as suas obrigações e as consequências do seu impacto.
  • Ética: consiste em conhecer e aplicar o conjunto de regras morais que regulam as atividades.
  • Reflexão sobre os princípios deontológicos, a própria ação e a interação com o outro. Quando falamos em deontologia, nos limitamos à definição apresentada por Córdoba Azcárate, especialista no assunto, ou seja, ao ‘conjunto de normas exigidas para um grupo profissional’.

Além disso, é necessário assumir os direitos e deveres para adquirir uma responsabilidade social e individual, acompanhada de autorregulação e atualização. Portanto, trata-se de um aprendizado constante sobre a profissão, a interação no trabalho e a nossa responsabilidade com nós mesmos e com os demais.

Potencializando o desenvolvimento

Quando temos autoconsciência profissional, não levamos as coisas para o lado pessoal, nem temos o hábito de agir na defensiva. Sabemos que a suposição pode nos levar ao erro e, antes de escorregar, preferimos perguntar.

Além disso, não precisamos agradar a todos. Sabemos que a essência do trabalho não é essa. Nesse sentido, ao lidar com conflitos, nos colocamos no lugar do outro e gerenciamos a nossa comunicação da melhor maneira para não prejudicar ninguém, sempre mantendo os nossos limites.

A autoconsciência profissional é uma forma de potencializar o nosso desenvolvimento, uma vez que somos seres integrais. Dessa forma, o que promovemos em uma área pode influenciar outra. Por exemplo, ao trabalhar em como gerenciar as nossas emoções para liderar uma equipe, já estamos trabalhando em nosso campo afetivo, o que pode influenciar o plano social e físico.

Quando focamos em como agimos, no que percebemos, no que nos afeta, como são os nossos pensamentos e emoções, como eles afetam outras áreas, estamos alimentando a autoconsciência. Esses comportamentos fortalecem o crescimento pessoal, pois ajudam a aumentar o bem-estar físico, emocional e social a partir do autoconhecimento e da autorregulação.

Na verdade, isso reduz a ansiedade, a insônia e o estresse. As funções executivas são aprimoradas, permite a conexão com o momento presente, favorece a aceitação, os sentidos são ativados, entre outros fatores. Em cada pessoa isso vai ser diferente, dependendo das suas práticas baseadas na consciência, que podem ser aplicadas ao trabalho e a outros aspectos da sua vida.

Mulher tentando se organizar

Como fortalecer a autoconsciência profissional?

Podemos fortalecer a autoconsciência profissional de diferentes maneiras. Por um lado, é fundamental que estejamos constantemente nos atualizando na profissão, uma vez que teorias, parâmetros e técnicas mudam ou se tornam obsoletos; se nos mantivermos atualizados, poderemos exercer a profissão com ética.

Podemos acompanhar a atualização da profissão, aprofundando-nos nos conceitos e princípios deontológicos da nossa área. Para fazer isso, podemos consultar os manuais e códigos que nos regem.

Também é importante assumirmos o controle das nossas ações; assim, cresceremos como pessoas e no trabalho, pois faremos disso um aprendizado, reconhecendo os nossos direitos e deveres. Além disso, é preciso reconhecer os direitos e deveres dos demais.

Outra forma de atualização é através do feedback. Não aprendemos apenas com as nossas observações, mas também com as dos outros. Para isso, podemos consultar nossos pares, ler, ter um mentor, estar em processos de supervisão, etc.

Podemos também ingressar em processos psicoterapêuticos que promovam o bem-estar integral e possuam técnicas de autoconsciência. Assim, podemos nos orientar com apoio para tirar o melhor de nós, para atingir os nossos objetivos.

Em suma, a autoconsciência profissional pode ter um impacto positivo em outras áreas. Além disso, é necessário desenvolver competências para aprimorá-la, como consciência ética, autoconhecimento, consciência reflexiva e pessoal, atualização e internalização dos direitos e deveres da nossa profissão, acompanhada da sua aplicação. Através dela, podemos crescer, explorar, reconstruir, aprender e direcionar os nossos objetivos de forma saudável e responsável.

Córdoba Azcárate, E. (2011). Conciencia profesional y deontología. Profesiones, 130, 9-24.

Brancu, M. (2020). Awareness Can Grow Your Carrer. Psychology Today. https://www.psychologytoday.com/us/blog/new-look-womens-leadership/202007/how-intentional-self-awareness-can-grow-your-career