Córtex pré-frontal dorsolateral: principais funções

23 Abril, 2020
O córtex pré-frontal dorsolateral é uma estrutura fundamental para o ser humano. É uma área do cérebro envolvida em processos cognitivos tão importantes quanto a memória, a atenção e o planejamento temporal, entre outros.

Os lobos pré-frontais representam elementos-chave para a modulação e o controle do comportamento humano. Sem dúvida, são fundamentais na integração de informações cognitivas, motivacionais e emocionais. Sua conexão com quase todas áreas do encéfalo lhes confere uma grande importância e, por isso, os estudos e pesquisas sobre eles são tão importantes. Dentro dos lobos pré-frontais, encontramos o córtex pré-frontal dorsolateral: uma área cujas funções são de vital importância para o comportamento humano.

As regiões frontais nos permitem ser seres autônomos, facilitando uma boa parte do controle que temos sobre nossas vidas. Tudo isso por meio das chamadas funções executivas, funções que nos caracterizam como seres humanos. Graças a essas áreas, construímos nossa identidade e desenvolvemos a autoconsciência.

Dessa forma, elas permitem o diálogo interno e a comunicação com os outros. A cognição social ocorre nessas áreas e daí surge a empatia, a capacidade de se colocar no lugar do outro. Ao mesmo tempo, essas áreas também nos permitem prever os comportamentos dos outros – antecipando suas intenções – ou entender aspectos como a mentira.

Córtex pré-frontal

Anatomia do lobo frontal

O lobo frontal se divide em várias áreas:

  • Área motora, pré-motora e suplementar.
  • Campo ocular frontal.
  • Área de Broca.
  • Córtex pré-frontal.

Ao mesmo tempo, subdivide-se em três regiões:

  • Dorsolateral.
  • Orbital.
  • Medial.

Principais funções do córtex pré-frontal dorsolateral

Tanto Stuss e Knight (2002) quanto Tirapu e Ustárroz (2012) apontam algumas das principais características desse córtex:

  • Inibição, coordenação e modulação do comportamento.
  • Pesquisa, recuperação e atualização de informações relevantes em todos os momentos.
  • Planejamento, preparação e antecipação por meio dos sinais temporários.
  • Regulação e controle cognitivo e emocional.
  • Flexibilidade para mudar a atenção e o comportamento à medida que as condições mudam.

Por sua vez, a equipe de Burguess (2012) realizou uma revisão da literatura científica sobre as principais funções do córtex pré-frontal dorsolateral. Eles concluíram que a maioria das pesquisas concordava que a atenção, a memória, a linguagem, assim como a preparação e o sequenciamento temporais são as funções mais importantes.

Atenção

Entre as principais funções do córtex pré-frontal dorsolateral, está o controle da atenção. Esse controle engloba processos como: mudança de tarefa, capacidade de atenção dividida, preparação para a ação e o controle de interferências.

 “Sem uma atenção seletiva, a experiência seria um completo caos”.
-Daniel Goleman-

Memória

Em relação à memória, é necessário diferenciar entre memória de trabalho ou memória operacional e memória declarativa.  A memória de trabalho ou operacional é um sistema que permite reter e trabalhar com a informação de maneira temporária. Baddeley (2010) afirma que o córtex pré-frontal dorsolateral funcionaria como um “executivo central”. De acordo com o autor, ele tem “a capacidade de recuperar informações e mantê-las ativas enquanto são manipuladas”.

Por sua vez, Stuss e Levine (2002), propõem que a participação dessa área aumenta quando as informações exigidas “excedem a capacidade da memória de trabalho e quando é necessário controlar distratores que possam interferir nas informações relevantes com as quais se está trabalhando”.

Em relação à memória declarativa, o córtex pré-frontal dorsolateral parece estar envolvido nos processos de recuperação das informações. Ele participa da escolha das melhores estratégias para codificar as informações e está relacionado a processos associados com a memória da fonte. Ou seja, lembranças das características de um acontecimento: o que, como, quando, onde…

As alterações na memória da fonte afetam a capacidade dos indivíduos de examinar a origem de suas lembranças. Esse processo é conhecido pelo nome de monitoramento da realidade. Dessa forma, é possível distinguir entre acontecimentos reais ou imaginados. Baddeley garante que “um déficit nesse processo pode ser responsável pelos fenômenos de interferência proativa e pelas frequentes intrusões e confabulações que os pacientes com lesão pré-frontal apresentam”.

 “A memória é a sentinela do cérebro”.
-William Shakespeare-

Linguagem

A falta de fluência verbal está relacionada com as lesões pré-frontais, especialmente as ocorridas do lado esquerdo. Ao mesmo tempo, o discurso narrativo também seria afetado em termos da sua simplificação e da omissão de formas gramaticais quando ocorrem alterações nessa área.

Preparação e sequenciamento temporal

Por fim, o planejamento temporal é uma capacidade essencial para organizar atividades e viver no dia a dia. Várias pesquisas destacam a importância das áreas frontais no planejamento. Arnedo, Bembibre e Triviño (2013) afirmam que a preparação e o monitoramento temporal são realizados “por meio de uma constante atualização das informações relacionadas ao tempo necessário para realizar uma ação e mantê-la na memória até o momento da sua realização”.