9 sutras ou ensinamentos budistas para viver melhor

Sutras são pequenos fragmentos de sabedoria ensinados por Buda ou um de seus discípulos. São frases que nos ajudarão a despertar da letargia.
9 sutras ou ensinamentos budistas para viver melhor

Última atualização: 24 fevereiro, 2022

Você já ouviu falar dos sutras? Houve um tempo, já muito distante, em que deixamos de olhar para cima com espanto e admiração e começamos a procurar outras coisas. Isso aconteceu quando começamos a subestimar, negligenciar e esquecer o espírito, deixando outras coisas tomarem seu lugar.

Assim, começamos a vagar em uma busca constante por prazer e segurança, em uma fuga contínua do medo, da dor e do desconforto que não nos permitem a sensação de paz.

A palavra Buda vem de budh, que significa “acordar”, por isso Buda significa o “Desperto”. Um Buda é alguém que despertou totalmente, como se saísse do sono mais profundo, e descobriu que não sofre mais, que o sofrimento tem sido apenas um sonho ruim. Todos nós podemos sair desse pesadelo, tentando “não fazer nada além do bem, evitar qualquer dano aos outros e purificar o coração”.

Monge budista que pratica os sutras.

Os Sutras: Os Ensinamentos do Budismo

Como afirma o budismo, o caminho que nos leva a “nos reconectarmos com o nosso espírito” consiste em três etapas: ouvir ou ler, refletir sobre o que foi lido ou ouvido e colocá-lo em prática. Conclui-se que a filosofia budista é algo que precisa ser útil. Se não funcionar, é abandonada; por outro lado, se for benéfico, vale a pena se dedicar.

Assim, para permitir uma abordagem inicial deste assunto, trazemos 9 dos muitos sutras ou ensinamentos budistas que nos convidam a refletir sobre a nossa vida. Os sutras não são frases de efeito, mas sim ensinamentos que juntos constituem toda a doutrina budista, e que podemos adaptar ao nosso comportamento diário.

Sutra 1: Ele observa; tem clareza

“O tolo dorme como se já estivesse morto, mas o mestre está desperto e vive para sempre. Ele observa. Tem clareza.”

Tudo está em nosso coração, mas precisamos aprender a observar. Ao fazermos isso, nossa mente clareia e nos tornamos mais delicados e focados. Seja sábio e observe; não fale, apenas observe e aprenda.

Uma mente silenciosa é uma mente calma e serena. Para isso, a meditação é uma das principais técnicas. Mesmo assim, a mente nos ajudará a erradicar todo o condicionamento externo que produz sofrimento e liberará a felicidade genuína.

Imagem de Buda, autor dos sutras.

Sutra 2: Somente o amor dissipa o ódio

“Neste mundo, o ódio nunca dissipou o ódio. Só o amor dissipa o ódio. Esta é a lei, antiga e inesgotável”.

A luz dissipa as trevas e as trevas são o ódio. Como alcançar a luz? Meditando sobre o amor e a compaixão. Abandone os resultados que geram ódio e sentimentos negativos. O silêncio vence, então a luz entrará e o ódio não terá lugar dentro de você.

No budismo, o amor é o desejo e a aspiração de todos os seres para alcançar a felicidade e suas causas. Compaixão é o desejo e a aspiração de todos os seres se livrarem do sofrimento e de suas causas. Meditando sobre esses dois conceitos muito profundos, vamos arrancar o ódio de dentro de nós.

Sutra 3: Como você pode lutar?

“Você também irá morrer. Como pode lutar?”

A vida é curta, lutar é desperdiçá-la inutilmente. É melhor usar o seu tempo e energia para alcançar a felicidade, pois não se luta pela carne quando o coração é enaltecido. Nós somos pó e ao pó retornaremos, então para que lutar? O que ganhamos com o desperdício das nossas energias?

Sutra 4: Além dos julgamentos

“Uma mente que está além do julgamento observa e entende”.

Não entre em considerações sobre o que é bom e o que é ruim, porque ao analisar você se sentirá dividido. Escolha uma atitude de atenção consciente, apenas olhe para as duas opções, mas não escolha.

Lama Rinchen Gyaltsen, um professor budista, nos ensina que os seres humanos tendem a classificar o exterior em três categorias: “gosto” (apego), “me é indiferente” (ignorância) e “não gosto” (ódio). Quando caímos nesses “três venenos”, tendemos a prejulgar tudo ao nosso redor. Portanto, se não nos apegarmos a um julgamento externo, seremos mais livres e muito mais felizes.

Sutra 5: Viver arduamente

“É doce viver duro e possuir a si mesmo”.

Você subiria o Everest de helicóptero? Pode ser mais fácil, mas não será mais agradável. Este é um dos sutras que nos lembra que o que é verdadeiramente enriquecedor é aquilo em que colocamos os nossos corações e esforços. A vida deve ser vivida, não olhada. Isso só é feito se você vive sua própria vida e não a dos outros.

Mulher em posição de lótus meditando.

Sutra 6: Superação

Com bondade, supere a raiva. Com generosidade, supere a mesquinhez. Com a verdade, supere a decepção.”

Transforme o negativo em positivo. O mundo te prepara para o negativo e te empurra para os caminhos da repressão. Uma pessoa inteligente não tem serventia para a sociedade, pois o que ela deseja são pessoas obedientes, não inteligentes. Viva a sua vida com inteligência.

Aprender com o negativo é uma premissa budista. Tudo o que nos acontece, por mais negativo que seja, deve nos dar energia para continuar. Cada vez que acontece algo que classificamos como negativo, devemos tentar analisar o fato e aprender. Desta forma iremos evoluir e nos superar.

Sutra 7: Desperto para sempre

“Tudo surge e desaparece. Mas quem acorda, faz isso para sempre”.

Você tem duas maneiras de viver: caindo ou crescendo. Cair é fácil porque a gravidade, a sociedade e a multidão te ajudam. Para cair, basta se deixar levar e ser obediente.

Mas crescer é difícil. Para crescer você tem que desobedecer, superar o ego, derrotar a si mesmo e evoluir. Todos nós somos capazes de alcançar a consciência, mas poucos a procuram e encontram. Se você pegar a estrada, se conhecer e viver sua própria vida, viverá para sempre.

Sutra 8: Palavras

“Controle as suas palavras”.

A mente está cheia de palavras, muitas vezes desnecessárias. Acostume-se a pensar o que é necessário e a falar o mínimo. Seja concreto e telegráfico. Avalie com antecedência se o que você vai dizer faz sentido. Lembre-se sempre de que as palavras têm poder e que o poder pode se voltar contra você.

No budismo, é defendido que só devemos falar quando temos algo interessante para dizer, algo enriquecedor. Se não, é melhor se calar.

Mulher com os olhos fechados meditando.

Sutra 9: Pensamentos

“Controle os seus pensamentos” .

Os pensamentos estão na sua mente, eles são o caos e é importante desamarrá-los. Eles vêm e vão sem nenhum significado. Você inventa coisas ou as interpreta, e seus pensamentos voam por si mesmos. Seus pensamentos são os seus algozes, pense apenas quando quiser. Aprenda a conectar e desconectar.

Já existiram milhares de Budas na história, pessoas que acordaram e nos mostraram o mapa que percorreram para alcançar o caminho da gratidão e da sabedoria. Portanto, se formos guiados por esses preceitos, todos podemos alcançar a plenitude. Basta banir o nosso ego, parar de ser obediente e viver a nossa própria vida, trilhando o caminho do amor e da bondade.

Pode interessar a você...
Uma fábula budista sobre a ansiedade
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Uma fábula budista sobre a ansiedade

Esta é uma fábula budista sobre a ansiedade que fala sobre a natureza desse sentimento. Ele nasce quando nos deixamos invadir pelo desejo de alcanç...



  • Wang, E. Y. (2005). Shaping the Lotus Sutra: Buddhist visual culture in medieval China. University of Washington Press.
  • Hanh, T. N. (2011). Awakening of the heart: essential Buddhist Sutras and commentaries. Parallax Press.