7 características de um pai narcisista

O mais prejudicial de um pai narcisista é o bloqueio que ele impõe aos filhos o que não lhes permite ser eles mesmos. Eles criam uma esfera de poder na família da qual não há como escapar: ou seus filhos se submetem a ela, ou sofrem as consequências.
7 características de um pai narcisista

Última atualização: 14 julho, 2022

O traço central de um pai narcisista é a negação de descendência. Isso significa que ele não reconhece a individualidade e integridade de seus filhos, mas os vê apenas como um apêndice de si mesmo. Portanto, ele acha que tem o direito de usá-los e manipulá-los conforme sua conveniência.

Um pai narcisista oferece aos filhos um afeto totalmente condicionado. Se o agradam, recebem amor paternal. Se não o fizerem, esses tipos de pais não terão nenhum problema em privá-los de sua atenção e até mesmo de sua proteção financeira e física.

Não é a carne e o sangue, mas o coração, que nos torna pais e filhos.”

-Friedrich Schiller-

É claro que muitos pais querem sentir orgulho de seus filhos e ver neles, de uma forma ou de outra, uma continuidade de sua própria existência. No entanto, isso por si só não define o pai narcisista. Isso se configura como tal quando ele faz de seus filhos mais um instrumento para sua autoexaltação. As principais características desses pais são as seguintes.

1. Usar o filho: um traço distintivo de um pai narcisista

Um pai narcisista usa seu filho para realizar seus próprios sonhos , desejos e objetivos. Ele acha que isso é natural e por isso não se limita ao definir a vida dos seus descendentes, sem consultar o que eles querem.

É muito comum que esse tipo de pai acostume os filhos a receber aprovação antes de fazer qualquer coisa. Desta forma, é o pai quem lhes diz que profissão devem escolher, que tipo de parceiro precisam, como se vestir, como pentear o cabelo, etc. Ele, e somente ele, é quem sabe o que é melhor.

Pai zangado com sua filha
O pai narcisista impõe seus desejos e necessidades acima dos de seus filhos.

2. Marginaliza a criança que pensa diferente

Como efeito do exposto, o pai narcisista rejeita completamente o filho que se desvia de suas ordens e mandatos. Não é apenas um choque, mas ele chega a marginalizar completamente esse filho. Para esse tipo de pai, é inaceitável que a criança pense com a própria cabeça.

Às vezes ele nega que é seu filho. Outras vezes o chantageia com dinheiro, por exemplo, quando ainda depende dele financeiramente. Ele também podem parar de falar com ele para sempre ou humilhá-lo.

3. Exibe socialmente as conquistas do filho

Ao contrário do que foi dito antes, um pai narcisista não perderá a oportunidade de se apropriar das conquistas de seus filhos, desde que coincidam com o que ele deseja. Ele não se orgulha de seus filhos, mas se gaba de si mesmo quando eles alcançam algum sucesso.

É típico que, se eles já marginalizaram um filho porque ele não obedeceu aos seus mandatos, eles automaticamente o aceitam quando ele obtém alguma conquista importante. Qualquer coisa que lhes permita a autoexaltação, eles aceitarão sem problema.

4. Ele manipula seus filho para cumprir seus propósitos

Esses pais freqüentemente usam ameaças e coerção com seus filhos. É comum culpá-los por não serem ou fazerem tudo o que eles querem ou esperam. Ou que os denigrem e humilham se não atendem às suas expectativas ou as desobedecem. Eles não têm nenhum problema em insultá-los ou puni-los em público.

Pais narcisistas são aqueles que ameaçam seus filhos com não apoiá-los financeiramente se não cumprirem suas ordens. Da mesma forma, como já observado, condicionam seu afeto: se seus filhos cumprem os parâmetros que eles impõem, eles lhes dão afeto. Caso contrário, eles apenas lhes oferecem frieza ou desprezo.

5. É psicorrígido

Os pais desempenham um papel de autoridade na família e, se forem narcisistas, levarão esse papel ao extremo. É por isso que tentarão controlar até os menores detalhes da vida de seus filhos e o farão de maneira inflexível.

Para esses pais, a afirmação individual de um de seus filhos é uma ameaça. Que eles existam e decidam de forma independente torna-se uma afronta. Para manter tudo sob seu controle, eles estabelecerão uma regra inquestionável para tudo: no final, apenas o que eles dizem é feito.

6. Ausência de empatia

Como acontece com todos os narcisistas patológicos, esses pais não têm empatia. A realidade começa e termina dentro da estrutura de seu próprio ego. É por isso que não compreendem o sofrimento ou a felicidade de seus filhos e não se esforçam para fazê-lo.

É muito comum que os filhos de pais narcisistas também tenham dificuldade para se entenderem a si mesmos. Seus pensamentos e sentimentos não são validados, muito menos compreendidos. É muito comum que diante disso, os filhos quebrem o relacionamento com o pai, ou adotem um falso “eu”.

Pai ignorando seu filho
O pai narcisista é egoísta e carece de empatia, então o sofrimento do filho é inexistente para ele.

7. Ele é possessivo

Pais narcisistas têm ciúmes de seus filhos, muitas vezes de forma absurda. Incomoda-os, por exemplo, que adquiram um hobby pelo qual são apaixonados. Este é um sinal de autoafirmação e é por isso que é imediatamente rejeitado.

Eles também tendem a ser hipercríticos em relação aos amigos ou parceiros de seus filhos, a menos que eles estejam dentro de sua órbita de influência. É frequente que, além disso, minimizem a mãe ou desconfiem da relação dos filhos com ela.

Aqueles que têm um pai narcisista podem se tornar rebeldes sem uma causa ou se tornar o apêndice que seus pais desejam. Esta é uma circunstância complexa que, na maioria das vezes, só pode ser resolvida com terapia.

Pode interessar a você...
Irmãos narcisistas: que características apresentam?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Irmãos narcisistas: que características apresentam?

Irmãos narcisistas são o resultado de pais disfuncionais em que um filho foi priorizado acima do resto.



  • Peón, M. (2009). Todas mis esperanzas narcisistas están puestas en ti. Aperturas psicoanalíticas, 33.
  • Trechera, J. L., Millán Vásquez de la Torre, G., & Fernández Morales, E. (2008). Estudio empírico del trastorno narcisista de la personalidad (TNP). Acta colombiana de psicología11(2), 25-36.