O que é a psicofisiologia?

· março 22, 2019
O objetivo da psicofisiologia é estudar o comportamento do ser humano e os processos que o organizam. Para isso, essa disciplina se vale de algumas técnicas com as quais capta sinais fisiológicos.

A psicofisiologia é o ramo da psicologia relacionado às bases fisiológicas dos processos psicológicos. É uma disciplina da psicobiologia e seu objeto de estudo é o ser humano. O objetivo da psicofisiologia é estudar o comportamento do ser humano e os processos que o organizam. Mais especificamente, trata-se do estudo de nossos processos somáticos e fisiológicos.

Desde seu nascimento no último terço do século XIX até a atualidade, seu objeto de estudo se manteve constante. No entanto, o progresso tecnológico e a influência de diferentes correntes de pensamento moldaram a forma de abordar o estudo do cérebro em relação ao comportamento.

Atualmente, o cérebro é estudado por meio de técnicas provenientes de várias disciplinas. Assim, podemos encontrar relação entre a psicofisiologia e a psicologia fisiológica, a neuropsicologia, a psicoendocrinologia, a psiconeuroimunologia ou a área psicobiológica das neurociências.

Revistas e sociedades dedicas à psicofisiologia

Algumas revistas responsáveis por divulgar os saberes dessa perspectiva são:

  • Psychophysiology, desde 1964
  • International Journal of Psychophysiology, desde 1983
  • Journal of Psychophysiology, desde 1987
  • Cognitive Neuroscience, desde 2010
  • Applied psychophysiology and biofeedback, desde 1997
  • Sociedade espanhola de Psicofisiologia e Neurociência Cognitiva e Afetiva

Algumas generalidades sobre a psicofisiologia

Como já mencionamos, o objetivo da psicofisiologia é estudar o comportamento do ser humano e os processos que o organizam. Para isso, essa disciplina se vale de algumas técnicas com as quais capta sinais fisiológicos. Todos esses sinais captados são transformados em sinais elétricos para serem analisados.

Assim, para obter o sinal psicofisiológico, é necessário primeiramente captar esse sinal, que pode ser captado diretamente, de forma elétrica ou bioelétrica, ou indiretamente de forma bioelétrica. Alguns dos instrumentos que podem ser úteis para captar esses sinais são o termistor ou o fotopletismógrafo. Uma vez que o sinal fisiológico tenha sido captado e transmitido pelos sensores, ele pode ser transformado, amplificado, filtrado e/ou calibrado.

Por fim, para obter o sinal, é necessário fazer um registro. Esse passo pode ser realizado em um papel milimetrado movido à velocidade constante no qual se faz o registro com oscilógrafos. Isso também pode ser feito em computadores, quando termina a fase de amplificação. Esse último processo é mais dinâmico e facilita a manipulação do sinal.

A psicofisiologia

Para explicar o sinal psicofisiológico, é necessário, por um lado, a análise e, por outro, a interpretação do sinal. Assim, no sinal psicofisiológico são analisados os seguintes parâmetros:

  • Amplitude.
  • Frequência (Hz).
  • Forma da onda.
  • Latência de resposta (ms.).
  • Ciclo.
  • Intervalo.
Registro de sinais

Tipos básicos de registro

O registro do sinal pode ser realizado de modo monopolar ou bipolar.

  • Monopolar (endossomático): posiciona-se um eletrodo em uma parte ativa da pele, e outro em uma parte inativa. Por exemplo, no eletroencefalograma, verifica-se um registro monopolar.
  • Bipolar (exossomático): registra-se mediante dois eletrodos situados em dois pontos eletricamente ativos. Por exemplo, o eletrocardiograma funciona dessa maneira.

Tipos de resposta psicofisiológica

A resposta psicofisiológica obtida pode ser de três maneiras.

  • Tônica. Refere-se ao nível basal ou de descanso na atividade de uma medida psicofisiológica, ou seja, sem aplicar uma estimulação.
  • Fásica. É a resposta ou o nível de reatividade a um estímulo específico. São mudanças passageiras no nível tônico.
  • Espontânea ou não específica. Trata-se de respostas psicofisiológicas espontâneas. Aparecem na ausência de um estímulo conhecido e indicam o grau de labilidade e ativação geral.

O que se analisa da resposta psicofisiológica?

Da resposta psicofisiológica, são analisados:

  • A ativação ou o arousal: Essa ativação é a liberação de energia produzida no indivíduo analisado. Essa medida relaciona as mudanças psicofisiológicas com as comportamentais.
  • A habituação: Interrupção ou diminuição da amplitude das respostas como consequência da ativação repetida.
Mulher fazendo eletroencefalograma

Além do que foi citado anteriormente, na psicofisiologia é importante levar em consideração o contexto de registro. Assim, o registro do sinal pode ser realizado em campo ou em laboratório. Se o registro for realizado em campo, certas variáveis como a temperatura, a umidade, a luz, etc. deverão ser controladas.

Dessa maneira, a tarefa experimental será realizada em várias fases. Primeiro, previamente à tarefa, é importante conhecer as características e respostas fisiológicas do indivíduo analisado. Em seguida, haverá uma fase de adaptação, seguida de um registro “basal”, um registro em estimulação e um registro pós-estimulação.

Por fim, devemos mencionar a natureza da psicofisiologia como um ramo no qual convergem diferentes disciplinas. A consequência mais imediata desse fato é que boa parte de seu conhecimento é gerado tomando como base o que é produzido por outras ciências. Ao mesmo tempo, o conhecimento gerado também pode ser aproveitado por outras ciências. Falamos, sem dúvida, de uma disciplina fascinante.

  • Kakarot, N.; Mueller, F.; Bassarak, C. (2012). “Activity–rest schedules in physically demanding work and the variation of responses with age”. 
  • Fabiani, M (2012). “It was the best of times, it was the worst of times: A psychophysiologist’s view of cognitive aging”. Psychophysiology.